entrevista com a escritora da premiada coleção pipo e fifi – caroline arcari


Blog Valentina Kids: Quem é a autora Caroline Arcari e como teve início sua carreira de escritora?

Carol: Sou pedagoga, diretora da Escola de Ser, e presidente do Instituto Cores, o qual está há 10 anos em Rio Verde – Goiás. Atendo em todo o Brasil e em outros países caso surjam oportunidades. Na verdade nunca planejei ser escritora, foi uma consequência da necessidade do trabalho, com o tempo percebi que não tinha mais material para falar sobre violência sexual, então, resolvi criar. Todo processo demorou 6 anos para acontecer, pois morando em Rio Verde foi difícil encontrar um ilustrador que atendesse a demanda que o livro produzia, pois tinha que ser realizado com extrema discrição, com o intuito de não dramatizar as crianças. Fiz vários testes com pelo menos três profissionais e não gostei, na Revista Atrevida, encontrei a Isa Santos e me apaixonei pelo trabalho dela, iniciamos a parceria, e deu certo, pois a mesma traduziu o texto da maneira mais perfeita possível, nós trabalhamos durante um ano até lançar o livro em 2014.

 

Blog Valentina Kids: Do que trata o livro “Pipo e Fifi”?

Carol: É um livro dirigido para crianças de 3 á 12 anos, que explica de uma forma simples e descomplicada o que é a violência sexual, como ela pode diferenciar afeto de abuso, que é muito difícil, principalmente quando acontece dentro de casa, com pessoas que são responsáveis por elas, além de orientar a criança a diferenciar os limites do carinho que o adulto pode ter com ela, que expressão de afetividade pode significar abuso, e o livro também aponta caminhos para que a criança possa buscar ajuda, seja no meio familiar ou em outro espaço.

 

Blog Valentina Kids: De onde surgiu a ideia para esta história e o nome?

Carol: A ideia pela necessidade de não achar nenhum material específico para trabalhar esse tema com as crianças. O nome foi uma construção durante esses 6 anos de trabalho, a primeira versão do livro não tinha os personagens e eu achei um livro chato, não percebi que as crianças iriam se interessar. Então foram criados os personagens para acessar esse mundo lúdico da criança, para que ela pudesse se identificar com os monstrinhos, a ideia dos monstrinhos que não fosse humano para existir diversidade de personagem, que também tivesse característica brasileira. No início, o nome dos personagens eram Kiki e Guigo, em homenagem a pessoas importante da minha vida, mais não funcionou, pois demoraria muito a criança de 3 anos formar a junção das letras. Achamos melhor mudar os nomes.

 

Blog Valentina Kids: O livro será publicado em outras línguas?

Carol: Já está publicado no site www.pipiefifi.com.br além do português do Brasil tem português de Portugal, Espanhol, Inglês e previamente traduzido em Francês.

 

Blog Valentina Kids: Onde e quando prefere escrever?

Carol: É uma coisa muito louca, porque eu não separo dia e nem local para fazer isso, como os livros eles acabam nascendo dessa necessidade de produzir o material, cada vez que deparo com uma situação, eu começo a criar mentalmente qual solução que posso construir, como Pipi e Fifi foi um processo de 6 anos ele foi realizado em vários momentos, quando era inspirada até mesmo por uma situação de caso de violência sexual que chegava até mim, eu pensava poxa, essa criança tinha que ter lido algo sobre isso, ela precisava saber sobre isso, se ela soubesse poderia ter pedido ajuda antes, então essa minha angústia criava meus materiais. Às vezes acontece num restaurante, num voo, como viajo muito, porque quando estou voando acabo ficando entediada, pego um guardanapo e começo a criar. O livro Pipi e Fifi para bebês foi criado num voo para Portugal. Pretendo lançar mais um volume do Pipi e Fifi sobre privacidade, possivelmente em setembro ele já estará prontinho e ilustrado. Então, não tenho lugares nem horário para escrever.

 

Blog Valentina Kids: Qual a melhor parte de escrever e ver sua obra publicada?

Carol: A melhor parte de escrever é quando vou organizando e o texto vai tomando corpo e consigo imaginar no futuro o impacto que o livro vai ter, pois não só um livro de história, mas sim um livro de ideias para solucionar problemas e diminuir um sofrimento, de criar estratégia nesses dados tão grave da violência sexual. A melhor parte quando vêm uns turbilhões de ideias e consigo organizar e vejo um grande potencial na obra, me proporciona uma satisfação imensa de saber que isso pode contribuir para construir um mundo menos violento. Às vezes quando eu tinha esse sentimento em 2013/2014 finalizando o livro, ficava pensando, estou colocando tanta Fé nesse projeto, será que realmente vai ter alcançe. Hoje é uma emoção muito grande de ver que chegamos em 4 países, tem as traduções, já foram mais de 100 mil cópias aqui no Brasil. Recebi um e-mail da ONU falando que conhece meu trabalho, é algo muito gratificante. A melhor parte de ver o livro publicado é isso, são os e-mails que recebo, familiares cotando que leram para criança e que ela acabou contando e pedindo ajuda, são os professores falando que se sentem muito confortáveis em ler a história para as crianças, porque a mesma tem uma delicadeza que faz com que eles não fiquem envergonhados e nem preocupados em falar sobre isso para seus bambinos. Recebo e-mails de várias pessoas, isso é fantástico, o reconhecimento de tanto esforço.

 

Blog Valentina Kids: Porque as pessoas devem ler este livro?

Carol: Porque o objetivo do livro é eficaz, tanto para adulto quando para criança, o adulto vai aprender a usar a linguagem da criança, quando ele ler o livro junto com ela, ele aprende a se comunicar com o tema de sexualidade, que é tão difícil na nossa cultura, e as crianças porque o livro é uma forma de protejê-la.

 

Blog Valentina Kids: O que uma história precisa ter para capturar o coração de uma criança?

Carol: Personagens bem construídos, uma ilustração fantástica, colorida, que seja sensível, diferente, além de chamar a atenção, e um texto bem elaborado, por isso não abro mão da Isa, acho que vou trabalhar o resto da vida com ela, suas ilustrações evoluíram a cada livro lançado, ela consegue adaptar ao contexto. A criança se relaciona de uma forma afetiva com Pipi e Fifi, não é atoa que fizemos os bonequinhos também, as crianças vão pra casa abraçadas com eles, é como se eles virassem amigos à primeira vista.

 

Blog Valentina Kids: Nessas suas viagens pelo país, conversando com crianças e professores, em feiras de livros, o que mais te surpreendeu?

Carol: Eu me surpreendi com a flexibilidade da obra, e não pensei que ela fosse atingir tantas pessoas, imaginava e planejava que a aceitação fosse grande, mais me espantei com professores, por exemplo, que atendiam crianças com deficiência dizerem que o livro estava perfeito, que ele não foi pensado exatamente para esse público e ao mesmo tempo eu não pensei que ele fosse ser tão adequado, por que as ilustrações bem feitas conseguiram traduzir de uma forma concreta uma ideia que o professor não consegue transmitir, eu não pensei que esse livro fosse se adaptar tão bem, várias instituições como a APAE, disseram que nunca encontraram um livro que se adaptasse tanto as necessidades das crianças. Isso foi uma surpresa muito grande, o fato do livro ter chamado atenção por exemplo da Laurie que é uma ONG que funciona em Londres que atende crianças latino-americanas, me surpreendi com um convite do Consulado Brasileiro em MADRI que foi o primeiro local internacional que fiz um trabalho com Pipi e Fifi, e também no Capo Verde, que é um país africano, e que gostou muito da obra. Então me surpreende com essa flexibilidade que não estava planejada e com essa universalidade da mensagem, que acabou se adaptando em várias culturas. O próximo volume ele já tem um cuidado ainda maior, para contemplar alguns públicos que não foram considerados nas edições anteriores, mas isso é surpresa ainda, mais será lançada esse ano.

Blog Valentina Kids: Qual a maior dificuldade em ser uma autora brasileira hoje no mercado editorial brasileiro?

Carol: É muito difícil, é um caminho árduo, não é impossível mas ele é muito, muito difícil, porque já existe um número grande de obras, existem obras traduzidas, são obras estrangerias que acabam chegando nas mãos das crianças por grandes editoras, muitas das vezes o escritor independente demora muito tempo para ser percebido por uma editora, o que hoje os editores estão fazendo é seguindo o caminho independente, foi o que eu fiz por dois motivos, primeiro não queria espera por uma grande editora, eu recebi alguns proposta de algumas editoras, mais eu não aceitei, porque eu não ia ter controle total completo sobre as ilustrações, quando você está numa editora precisa cumprir algumas ideias que são intrínseca nos valores de cada editora, então eu não queria ter intermediário nessa produção, queria ousar, não queria ter nenhum corte em relação as ilustrações no corpo das crianças e etc. Por isso não topei entrar em alguma editora para não ter nenhum tipo de bloqueio das minhas ideias e criatividade, e também no que eu acreditava, e deu muito certo. E se um dia eu achar uma editora que tem os mesmo valores que eu e a Isa temos não vai ter nenhum problema em fazer uma parceria. A dica que dou é seguir sempre à trilha independente para atingir os objetivos.

 

Blog Valentina Kids: Como atrair a atenção da geração atenta aos games, filmes e TV para o livro impresso?

Carol: Eu diria que, se o adulto sentasse com a criança e lesse de uma maneira muito bacana o livro, porque a criança gosta muito de atenção e ela gosta de companhia, simplesmente comprar o livro e colocar na frente da criança não é uma estrategia legal para formar um bom leitor, agora um adulto que senta com a criança, que le e ri junto com a criança, esse sim é um adulto que vai atrair uma boa atenção da criança. A criança só está esperando um adulto ter uma estratégia legal para se apaixonar pela leitura.

 

Blog Valentina Kids: Qual foi seu livro preferido, quando era pequena?

Carol: Meu livro preferido quando eu era pequena, era um livro muito simples de um carneirinho que não vou lembrar o título (riso), mais que era um livro que me fascinava pelas ilustrações bem construídas, acho que por isso que tive tanto cuidado para escolher minha ilustradora.

 

Blog Valentina Kids: Como você tem divulgado o livro?

Carol: Ele se divulga sozinho, eu não preciso tomar esse cuidado nem realimentar nada, porque ele chegou num ponto que as próprias pessoas já compartilham nas redes sociais, já existem várias entrevistas sobre o livro, as pessoas acham facilmente na internet, quando digitar “violência sexual criança” já parece o livro Pipi e Fifi, então o que a gente tem é o site e as páginas no facebook, fora isso, o livro se divulga sozinho.

 

Blog Valentina Kids: Onde é possível adquirir as suas obras?

Carol: no site www.pipiefifi.com.br

 

Blog Valentina Kids: Estamos chegando ao fim da entrevista…Agradeço pela entrevista e confiança depositadas no Blog Valentina Kids.

Carol: Adorei ter conhecido a Valentina, obrigada por todo carinho, agradeço pela confiança e interesse, estou à disposição sempre!

 

 

Abraços!

Valentina Kids

Fotos: Plínio Carvalho

Contato: (64) 99232-5436

Visite o site desse profissional www.pliniocarvalhofotografia.com

Giselda Martins
Sobre Mim

Meu nome é Giselda Martins, moro em Rio Verde –Góias, sou casada e tenho uma filha. Sou graduada em Administração de Empresas, e atualmente tenho desempenhado as funções de mamãe e editora do Blog Valentina Kids. O Blog foi inspirado na minha filha, visto que o universo infantil sempre me fascinou. Busco sempre me aprimorar para trazer o melhor conteúdo, proporcionando desta forma informações úteis para o dia a dia das mamães. Seja bem-vindo ao Blog Valentina Kids Um abraço! Giselda

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado, os campos marcados são obrigatórios *